Logo Zignet branco

| Blog

Valor do seguro veicular: como escolher e calcular

Tempo de leitura: 6 minutos
Vehicle-Insurance
Índice do conteúdo
Rate this post

Veja como é feito o cálculo do valor do seguro veicular pelas seguradoras e como fazer para conseguir a melhor cotação

Seja novo, seminovo ou usado, nenhum veículo parece estar a salvo dos criminosos no Brasil. A única forma de prevenir prejuízos e minimizar os danos, portanto, é o seguro veicular.

De acordo com a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), realizada pelo IBGE, são registradas cerca de 64 ocorrências de roubos e furtos de veículos por hora no país — o que equivale a uma média de 1.500 por dia.

Como o seguro veicular também protege desde pequenas avarias até grandes acidentes e perda total (PT) do veículo, este tipo de segurança ganha cada vez mais importância na rotina do motorista.

Os valores do seguro veicular, por outro lado, têm se mostrado mais em conta, apresentando uma redução nos valores, entretanto, são muitos os fatores que podem impactar o preço para o consumidor.

Para saber mais, leia esse artigo exclusivo da Zignet e descubra como é feito o cálculo do valor do seguro veicular.

 

Descubra qual o melhor seguro veicular para você

Antes de mais nada, é importante entender que o preço do seguro veicular não tem um padrão ou tabela fixa. Ele é formado através da análise de diversos critérios — e cada seguradora tem liberdade para decidir o que considerar e qual o peso que cada um terá na formação de preço.

Por outro lado, há vários tipos de seguro — os quais também podem incluir mais ou menos itens dependendo da empresa. E há ainda os itens adicionais, coberturas extras que você pode contratar por fora do valor principal.

Como escolher?

Quanto mais completo o seguro, maior será o valor. E há ainda vários itens que podem ser agregados na apólice, fora que muitas seguradoras permitem que todos os tipos de seguro veicular sejam customizados conforme a necessidade do consumidor.

Por isso mesmo, a melhor forma de escolher o tipo e, consequentemente, o valor do seguro, é estipulando as suas reais necessidades como motorista. Dessa forma é possível escolher a cobertura que realmente tem mais chance de ser usada, sem precisar pagar a mais por itens que podem ser dispensados.

Conheça alguns dos principais tipos de seguro:

  • Seguro contra roubo ou furto

Cobre apenas sinistros causados por roubo (quando o veículo é levado com uso de violência) ou furto (quando não é usada violência na abordagem). O valor do seguro veicular costuma ser bem atrativo, mas não cobre avarias em caso de acidentes, por exemplo.

  • Seguro de acidentes pessoais e passageiros

Basicamente funciona como uma proteção extra ao DPVAT (o seguro obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), protegendo as pessoas que estiverem no veículo.

  • Seguro compreensivo ou completo

Em uma única apólice há cobertura contra roubo, furto, incêndio, batidas e capotagens, enchentes e alagamentos, explosão, queda de raio e incidentes, além de assistência 24 horas, guincho e remoção do veículo. 

  • Seguro contra terceiros

Nesse caso o seguro veicular indeniza os danos causados pelo motorista a outra pessoa, seu veículo, passageiros e até mesmo pedestres envolvidos no acidente. Pode incluir danos materiais e morais.

 

O que impacta o cálculo do valor do seguro

Há vários aspectos que a seguradora considera na hora de cotar o valor do seguro. Cada empresa tem liberdade para dar o peso que quiser a cada um deles e utilizar critérios diferentes. Porém, de uma forma geral, os principais fatores são:

Modelo do veículo

Alguns modelos são mais visados do que outros. Nos modelos mais populares geralmente chamam mais atenção além de apresentarem mais facilidade para vender as peças. 

Em 2023, por exemplo, o Fiat Argo foi o destaque com 35% a mais de ocorrências de roubo e furto em São Paulo do que no ano anterior, indicando uma mudança nas preferências dos criminosos. Com isso, o preço do seguro de carro também aumenta.

Franquia escolhida

Franquia é o valor que o segurado tem que pagar na ocorrência de um sinistro sem perda total —  o restante é pago pela seguradora. Então digamos que o conserto saia R$ 8mil e a sua franquia seja de R$ 3 mil. Os R$ 5 mil restantes serão cobertos pela empresa, mas você precisa desembolsar R$ 3 mil para a oficina.

Mas o tipo de franquia pode variar. A básica, é aquela que está descrita na apólice. Já a reduzida é 50% o valor da básica — porém o valor do seguro é maior. 

E há ainda a opção da franquia aumentada ou majorada, que é maior do que a básica — mas impacta em um valor mais baixo do seguro. Essa é ideal para quem quase não usa o veículo.

Portanto, o tipo de franquia escolhida impacta diretamente o valor do seguro veicular.

Perfil do condutor

Esse é um fator de bastante peso também. A empresa analisa o histórico do motorista para definir a probabilidade dele se envolver em um acidente, como se já aconteceram sinistros anteriores, por exemplo.

Outro aspecto é a experiência ao volante. Quem tem CNH há menos tempo costuma pagar mais caro. Homens, homens solteiros e jovens também são considerados prováveis de se envolverem em situações delicadas.

Além disso, é preciso indicar um condutor principal e se outras pessoas da família, como filhos ou irmãos, também dirigiram o veículo. E tudo isso influencia no preço final.

Proteção do veículo 

Como falamos, há vários tipos de seguro veicular, então quanto mais completa for a proteção do veículo, maior também será o valor a ser pago.

Local de residência

Algumas regiões são consideradas mais perigosas do que outras. Além disso, também costuma ser considerado se a residência é casa de rua, condomínio ou apartamento, se o carro dorme em garagem ou não etc.

Uso do automóvel

Outro dado analisado é se o automóvel será usado para trabalho, como motoristas de aplicativo, vans escolares, mototáxi, motoboy, etc. Quanto maior o uso, maior a exigência do veículo e também a sua exposição a riscos, portanto maior também o valor do seguro.

 

Veja como economizar no valor do seguro auto

Lembre-se que todas as informações prestadas à seguradora precisam ser verdadeiras. Fornecer dados que não correspondem à realidade pode ser caracterizado como má fé e você perder o direito à indenização em caso de sinistro.

Mas há formas de economizar no valor de seguro, basta seguir algumas dicas:

Saiba escolher o veículo

Se você ainda não comprou o automóvel, pesquise quais modelos estão tendo o seguro veicular mais em conta e alinhe eles com seus objetivos e realidade.

Pesquise bastante seguradoras

Há muitas seguradoras no mercado, pesquise o perfil, o atendimento ao cliente, a opinião dos usuários. Busque em redes sociais e nos sites de proteção ao consumidor, como Procon e Reclame Aqui.

Faça várias simulações

Com as plataformas online está cada vez mais fácil obter serviços de confiança. Através dos sites das seguradoras é possível fazer diversas simulações e cotações sem compromisso e ver qual melhor se encaixa nas suas necessidades e no seu bolso.

Não pague pelo que não vai usar

Cuidado com armadilhas. Se você não usa muito o veículo, pode não ter necessidade de uma cobertura completa. Se não sair do seu estado dirigindo, pode não precisar de cobertura nacional. Analise os serviços que são gratuitos, as coberturas oferecidas e procure customizar o máximo possível para atender às necessidades do seu dia a dia.

Procure descontos e programas de fidelidade

Como a concorrência é grande, muitas empresas oferecem descontos bastante interessantes. Além disso, se você tem um bom histórico como condutor, procure negociar. Aproveite também os programas de fidelidade que dão vantagens para os bons motoristas.

 

Zignet ajuda você a manter seu veículo em ordem

Proteger o veículo contra prejuízos gerados por roubos, furtos e possíveis acidentes é importante, mas não deixe o valor do seguro pesar no bolso. Além disso, cuide para ter toda a documentação sempre em ordem, ela é fundamental caso precise receber a indenização.

Então aproveite as facilidades da Zignet para parcelar seus débitos veiculares em até 12X e regularizar a situação do veículo.

Continue acompanhando nosso Blog e saiba tudo que é preciso sobre trânsito seguro!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações