Logo Zignet branco

| Blog

PID: Permissão Internacional para Dirigir

CNH e Permissão Internacional para Dirigir
Índice do conteúdo

Pensando em viajar para o exterior? Saiba o que é e como tirar a PID para ter tranquilidade ao dirigir em outros países!

Para dirigir em todo o território nacional a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou a Permissão Para Dirigir (PPD) é indispensável. Mas, para quem está pensando em viajar a passeio, trabalho ou até mesmo em morar no exterior e quer pegar o volante em terras estrangeiras, na maior parte dos países precisa ter a PID (Permissão Internacional para Dirigir).

Mas você sabe por que é importante ter a PID e como tirar? Nesse conteúdo de hoje a Zignet vai te contar tudo o que você precisa saber para dirigir com tranquilidade nos outros países com a PID!

 

Descubra o que é a PID!

Como o próprio nome já diz, PID é a Permissão Internacional para Dirigir. Mas ela não é uma carteira de habilitação estrangeira, mas sim uma licença que funciona como uma complementação à CNH para quem quer ter o direito de dirigir no exterior.

Na verdade, a PID nada mais é do que a tradução juramentada da sua CNH em 9 idiomas: inglês, espanhol, português, chinês, japonês, árabe, russo, francês e alemão.

Todas as informações são importadas automaticamente da última CNH emitida para o condutor, incluindo sua fotografia. Por isso, caso haja alguma alteração nos dados é preciso primeiro corrigir a carteira para depois solicitar a PID.

Dessa forma, a PID precisa ser impressa e tem que ser apresentada juntamente com a CNH sempre que solicitada no país em que estiver dirigindo.

A PID é um documento impresso oficial regulamentado pelo Art. 3 da Portaria Sentran nº 1043 de 11/08/2022. Ou seja, a permissão não é uma carteira e nem existe em formato digital. Ela existe para a autoridade estrangeira reconhecer a validade do seu documento de habilitação (CNH) original.

Como documento oficial impresso, a PID tem um layout específico que, desde 2017, foi padronizado pela Senatran (antigo Denatran) para o mesmo formato adotado nos demais países.

Mas lembre-se que ela só vale no exterior, para dirigir no Brasil é preciso ter uma CNH válida. 

Afinal, quem precisa de uma PID?

Desde que a CNH ganhou uma nova versão, em junho de 2022, passou a ser aceita em todos os países que assinaram a Convenção de Viena (1968) e ainda em outros países que mantêm o Princípio de Reciprocidade com o Brasil. 

A nova versão tem identificação das categorias com equivalência internacional e tradução em português, inglês e espanhol, facilitando a identificação dos condutores brasileiros em solo estrangeiro – mas não dispensa a apresentação da PID na maioria dos mais de 100 países participantes do acordo.

A PID pode ser pedida a qualquer momento dentro das leis de trânsito de cada país, mas há situações em que a sua apresentação é praticamente certa. Por isso, o melhor é se prevenir e tirar a PID antes de viajar para o exterior.

A permissão precisa ser apresentada junto com a CNH, por exemplo, na maioria das vezes que você for alugar um carro, principalmente nas grandes locadoras. Além disso, o documento muito provavelmente será requisitado se você se envolver em acidentes ou qualquer infração de trânsito.

 

Como obter uma PID?

Obter a PID é bastante fácil, já que ela é a tradução juramentada da sua CNH. Por isso, os documentos necessários são apenas a sua própria Carteira Nacional de Habilitação e um comprovante de residência. E não custa lembrar que a CNH tem que ser válida e não pode estar suspensa nem bloqueada.  

A PID pode ser obtida diretamente no Detran do estado que emitiu sua CNH. O pedido pode ser feito presencialmente ou online, preenchendo um formulário básico e pagando uma taxa que varia de acordo com cada estado e as despesas de envio. Dependendo do Detran também pode ser preciso informar o país para o qual está indo e o período que pretende dirigir por lá.

Como o Detran é um órgão estadual, cada um tem autonomia para definir sua própria taxa de PID. Em São Paulo, por exemplo, ela custa R$ 387,86 em 2023; no Rio de Janeiro, R$ 183,24; em Santa Catarina, R$ 101,21; em Minas Gerais, R$ 246,81; e no Amapá, R$ 544,95.

Além do Detran, apenas o afiliado da FIA (Federação Internacional do Automóvel), o Automóvel Clube Brasileiro (ACBr) tem permissão para emitir a PID. 

Como a legislação brasileira não estabelece um preço fixo para a emissão da PID, o preço pela ACBr (R$ 195 + postagem) não é atrelado ao de nenhum Detran e é único para todo o país. E, pela entidade, a solicitação do documento só pode ser feita online.

Validade e renovação da PID

Da mesma forma que a CNH, a PID também tem data de validade. Desde 2017 esse tempo é de, no máximo, 3 anos – ou a data de expiração da carteira de motorista, se acontecer primeiro.

Caso a CNH esteja prestes a expirar, a dica é fazer primeiro a renovação da carteira para só então solicitar a PID. No Detran RJ, por exemplo, não é possível obter a PID se a CNH vencer nos próximos 30 dias após a solicitação.

 

Utilização da PID no exterior

A PID deve estar sempre anexada à CNH desde o primeiro momento em que você colocar a mão no volante nos países que fazem parte do acordo. Em alguns deles a sua apresentação é obrigatória também para a locação de um carro, como na África, Austrália, Nova Zelândia, Europa e Oriente Médio, por exemplo.

Já em alguns países da América do Sul a PID pode não ser solicitada, como Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Por outro lado, nos Estados Unidos e no Canadá a PID não é obrigatória até 180 dias de permanência, mas depois disso é preciso apresentar o documento junto com o passaporte e a CNH.

Em todos os casos, porém, a orientação do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (Itamaraty) é que a PID seja levada de qualquer forma para evitar aborrecimentos.

Penalidades por falta da PID

A obrigatoriedade do documento para dirigir em solo estrangeiro está regulamentada no Art. 159 do Código de Trânsito Brasileiro. O não cumprimento é considerado infração leve, com multa de R$ 88,38 e 3 pontos na carteira.

Por outro lado, as autoridades podem pedir a PID a qualquer momento em uma blitz ou fiscalização. Na Europa, por exemplo, quem não tiver a carteira traduzida pode ter que desembolsar entre 400 e 1.600 euros e até ter o carro apreendido.

A Itália, aliás, tem uma situação mais complexa do que a dos outros países da Convenção de Viena. Lá, o brasileiro consegue alugar um carro com a CNH, mas precisa da PID junto para dirigir.

 

A Zignet te ajuda a dirigir com responsabilidade e confiança

Seguir as leis de trânsito onde quer que você esteja é obrigação de todo motorista, tanto para se precaver contra possíveis penalidades quanto para promover maior segurança nas ruas.

Aqui na Zignet você encontra todas as informações e dicas para circular legalmente no Brasil e no exterior, além de facilidades para pagar seus débitos veiculares, como o parcelamento em até 12X no cartão de crédito.

Compartilhe essas informações com seus amigos e continue acompanhando o Blog da Zignet!

3/5 - (2 votes)

A ZIGNET é uma Instituição de Pagamento que surgiu para facilitar e inovar a forma de recebimento de contas, à vista ou parceladas, por meio de cartões ou outras modalidades de pagamentos eletrônicos.

Além de oferecer os serviços tradicionais de recebimento de cartões, as maquininhas ZIGNET também têm como diferencial parcelar em até 12 vezes, no cartão de crédito, boletos e contas emitidos por empresas públicas e privadas. Atendimento personalizado, tecnologia de ponta e o melhor custo-benefício são vantagens que a ZIGNET disponibiliza aos seus clientes, oferecendo maior agilidade e segurança nas transações de pagamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações