Logo Zignet branco

| Blog

Laudo de vistoria Veicular: o que é e como funciona

Laudo de vistoria veícular
Índice do conteúdo

Você sabe a importância da vistoria veicular e quando ela é necessária? Vem com a Zignet que a gente vai te contar tudo a respeito!

Se você é proprietário de um veículo, muito provavelmente em algum momento fez ou vai fazer uma vistoria veicular. Mas, por que em algumas situações ela é obrigatória e em outras não? Qual a segurança que o laudo oferece e para quem? 

Ficou curioso e quer saber a resposta para essas dúvidas? Então continue lendo para descobrir o que é e quando a vistoria veicular é exigida em todo o território nacional!

 

O que é laudo da vistoria?

Ser proprietário de um veículo ajuda na mobilidade e também pode ser uma forma de ganhar dinheiro, mas uma coisa é certa: também traz grandes responsabilidades. Uma delas é a vistoria veicular. 

A vistoria veicular é uma avaliação feita em veículos automotores (carro, moto, caminhão, ônibus, vans, etc) que atesta que está em condições de uso para transitar em todo o país. 

O laudo da vistoria veicular é um documento que contém a conclusão da avaliação. Nele constam informações que atestam a autenticidade da documentação, o estado físico e mecânico do veículo, a lista de todos os itens avaliados, dados de identificação do veículo (tipo, chassis, modelo, ano, cor, etc) e dos fiscais que fizeram a vistoria.

Os itens avaliados podem variar de acordo com o objetivo da vistoria, mas o laudo é sempre o resultado desse verdadeiro check-up do veículo e da autenticidade de propriedade do carro. 

O laudo da vistoria veicular é exigido em situações diversas, como a transferência de propriedade, de domicílio de registro ou para fazer um seguro, por exemplo.

Entenda o que é uma vistoria veicular

Tanto os veículos particulares quanto os comerciais precisam passar pela vistoria nas situações em que ela é obrigatória. E estas, por sua vez, geram 3 tipos de vistorias.

Uma delas é a vistoria de transferência, obrigatória sempre que a categoria do mesmo for alterada, houver transferência de propriedade do carro, de município de domicílio do proprietário ou se as características do automóvel forem alteradas, como a cor, por exemplo.

A vistoria cautelar é bem mais detalhada e é feita para verificar a procedência do veículo. Os fiscais verificam se há sinais de batida ou de alagamento, se as peças são originais, se os documentos são autênticos, etc – antes de haver a compra do automóvel (carro, moto, caminhão, etc).

Estes dois tipos de vistorias veiculares são obrigatórios e devem ser feitas pelo Detran.

O terceiro tipo é a vistoria veicular prévia, geralmente feita antes da contratação de um seguro. Apesar de ser uma medida obrigatória pela seguradora, para quem ela serve de parâmetro para a apólice do carro, é uma vistoria particular, sem relação com o Detran.

 

Descubra o que é verificado na vistoria veicular

Um dos pontos importantes é ter toda a documentação sua e do carro em dia, inclusive com os débitos pagos. Isso porque, além da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, é preciso apresentar também o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) e o Certificado de Registro de Veículo (CRV) – que você só consegue colocar em dia se tiver o licenciamento, IPVA e multas pagas. 

Então a dica é, antes de marcar a vistoria veicular, consultar os débitos veiculares pela Zignet e colocar tudo em dia com facilidade. Só com a placa do carro todas as dívidas aparecem na mesma página e podem ser parceladas em até 12x no cartão de crédito. 

Lembre-se de que se os documentos não estiverem em dia, o carro não vai passar na vistoria. 

Além da documentação, os fiscais também avaliam a estrutura do carro, a parte externa do veículo, por exemplo, considerando itens básicos como funcionamento dos faróis e todo o sistema de iluminação, fechamento de portas e vidros, cintos de segurança, etc.

Internamente, também são avaliados itens como o sistema de freios, suspensão, pneus e rodas, equipamentos obrigatórios como os cintos de segurança, sistema de sinalização e outros elementos complementares à segurança do automóvel.

 

Como e onde você deve fazer a vistoria do veículo

A vistoria veicular deve ser feita no Detran onde a placa está registrada, mas como órgão estadual, cada um tem autonomia para decidir como será feito o procedimento. Então o melhor é procurar informações no órgão da sua região.

Empresas de vistoria

Em várias regiões, inclusive, há também as Empresas Credenciadas de Vistoria (ECVs), que são instituições privadas autorizadas pelo Detran para fazer a vistoria veicular conforme o parágrafo 6º do art. 5º da Resolução Nº 716 do Contran.

Agendamento online

Em alguns Detrans, como no de São Paulo, a vistoria veicular só é realizada se tiver sido previamente agendada – o que, na maioria dos estados, é possível fazer online. Por isso é importante pesquisar no site do Detran da sua região sobre o que é necessário para a vistoria.

Para fazer o agendamento é preciso apresentar o CRLV e os comprovantes de pagamento de todas as multas e impostos, além dos documentos pessoais do motorista, como a CNH.

Geralmente há também uma taxa de vistoria que deve ser paga e um formulário do Renavam, disponível nos sites do Detran, que devem ser preenchidos. 

Documentos necessários para a vistoria

No dia da vistoria é preciso apresentar alguns documentos: CRLV, CRV, CNH do condutor e CPF ou RG do solicitante. Lembre-se de que se houver débitos veiculares em aberto ou documentação atrasada a vistoria não pode ser realizada.

Outro ponto importante é que o proprietário não precisa estar presente na vistoria veicular. É preciso apenas que o condutor seja habilitado e esteja portando os documentos necessários. 

Custos e prazos

Não há um preço fixo para a taxa da vistoria veicular, mas ainda tomando São Paulo como exemplo, em 2023 o Detran cobra R$ 144,86 para veículos novos ou usados. Nas empresas, porém, o valor pode chegar a R$ 200,00. Mas em locais no Sul do país, como no Paraná, o valor chega à metade do preço.

Os prazos entre o agendamento e a marcação da vistoria também variam de acordo com o Detran.

 

O que não passa na vistoria?

Além da falta de alguma documentação ou do pagamento de débitos veiculares, outros problemas também não passam na vistoria, veja quais são os mais comuns:

  • Vidros e blindagem em desacordo com o Código Brasileiro de Trânsito (CTB); Problemas gerais com faróis e lanternas, para-choques, buzina, quebra-sol, velocímetro e espelhos retrovisores, entre outros;
  • Pneus desgastados, personalizados ou fora do limite da carroceria;
  • Dispositivos de sinalização irregulares;
  • Suspensão irregular;
  • Chassi ilegível.

Veículo foi reprovado, e agora?

Após passar pela vistoria, se o veículo atender a todos os requisitos da legislação ele é aprovado. Caso haja alguma pendência, ou seja, algum item em desacordo com as leis, mas possa ser corrigida no Detran, o veículo é classificado como “aprovado com apontamentos”. Neste caso o automóvel fica impedido de circular até que as pendências apontadas no laudo de vistoria veicular sejam resolvidas.

Porém, se o veículo for reprovado na vistoria, ele fica impedido de trocar placa, renovar ou emitir um novo CRV e nem pode circular nas ruas.

Neste caso é preciso providenciar a regularização dos motivos da reprovação e, resolvidos os problemas, realizar novamente a vistoria veicular.

 

Cuide de seu veículo com a Zignet!

É muito importante estar com o veículo sempre regularizado para não ser reprovado na vistoria veicular sempre que for necessário passar por ela. Assim, além de circular com segurança para você e os demais motoristas, você evita transtornos desnecessários e ainda garante mais praticidade na hora de vender o automóvel.

Consulte sempre a situação do veículo na Zignet e aproveite todas as facilidades de quitar débitos veiculares em até 12x no cartão de crédito pelo nosso site.

Aproveite para estar sempre bem informado sobre as boas práticas no trânsito e ter as melhores dicas para seu automóvel no nosso Blog!

Avalie este post

A ZIGNET é uma Instituição de Pagamento que surgiu para facilitar e inovar a forma de recebimento de contas, à vista ou parceladas, por meio de cartões ou outras modalidades de pagamentos eletrônicos.

Além de oferecer os serviços tradicionais de recebimento de cartões, as maquininhas ZIGNET também têm como diferencial parcelar em até 12 vezes, no cartão de crédito, boletos e contas emitidos por empresas públicas e privadas. Atendimento personalizado, tecnologia de ponta e o melhor custo-benefício são vantagens que a ZIGNET disponibiliza aos seus clientes, oferecendo maior agilidade e segurança nas transações de pagamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações