Logo Zignet branco

| Blog

Como funciona o seguro DPVAT para motos? [Guia completo]

Leia em 8 minutos
Seguro DPVAT para motos
Índice do conteúdo

O DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) é um seguro obrigatório no país no qual garante indenização em caso de acidentes de trânsito envolvendo motos, carros, ônibus ou qualquer outro transporte e automóvel terrestre

A cobertura do seguro envolve acidentes que resultem em morte, invalidez permanente ou despesas médicas. E, embora seja um direito, muitas pessoas desconhecem o seu objetivo de amparar vítimas de acidente de trânsito.

 Mas, importante destacar que o DPVAT não cobre danos materiais, somente danos pessoais. Ele não irá indenizar nenhum acidente sem vítimas ou prejuízos materiais nos veículos envolvidos, mesmo que ocorra perda total do automóvel ou motocicleta.

É importante destacarmos que o tamanho do seu veículo não gera impacto para o DPVAT, mas sim a sua relação com a segurança. Se o risco de causar ou se envolver em um acidente for maior, maior será o valor do seguro.  

Reserve um tempinho para aproveitar esta leitura e saber mais detalhes. Prepare-se para receber informações valiosas e orientações sobre como funciona esse seguro. Lembre-se que acionar o DPVAT pode socorrer você em um acidente de trânsito

 

Como o DPVAT para motos funciona?

Atualmente, a gestão do DPVAT é feita pela Caixa Econômica Federal e qualquer pedido de indenização deve ser feito pelo banco.  A CEF é responsável pelos pagamentos de indenizações relativas a acidentes ocorridos a partir de 01/01/2021.

O seguro foi criado pelo governo federal pela Lei n° 6.194/74, tendo por fim as vítimas de acidentes de trânsito em todo o território nacional, não importando de quem seja a culpa dos acidentes. Essa legislação definiu também o Conselho Nacional de Seguros Privados como o órgão responsável por definir as normas e valores do seguro.

Importante saber que o DPVAT inclui motoristas, passageiros e pedestres vítimas de acidente de trânsito no território nacional. Mas, ao contrário do que se pensa, o seguro para motos e carros não difere sempre em relação aos preços pagos. Confira os principais diferenciais:

  1. Risco: devida a menor proteção oferecida pela moto em comparativo com o carro, os riscos de acidentes são maiores para os motociclistas. Por isso, o seguro para motos leva em conta esse fator mais elevado;
  2. Valores: geralmente é mais elevado para motos, pela mesma razão apontada no item anterior, de estarem propensas a se envolverem em acidentes de trânsito;
  3. Valores das indenizações: são cobertas aquelas que resultem em morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares. Esses valores podem variar entre motos e carros a depender da gravidade dos danos causados;

Do mesmo modo, outra questão pertinente é saber qual o destino dos valores arrecadados com o seguro. Cerca de 50% do valor total é direcionado às indenizações, 45% é repassado ao Ministério da Saúde (SUS) para custear o atendimento médico-hospitalar das vítimas de trânsito. E, por fim, 5% é destinado ao Ministério das Cidades, para as unidades da SENATRAN. Sua aplicação é exclusiva para programas de prevenção de acidentes.

 

Precisarei pagar o DPVAT em 2023?

Contudo, o seguro obrigatório não será cobrado em 2023. Isso porque, o Governo Federal constatou que havia recursos suficientes para manter a operação. Mas, é preciso ficar atento, pois essa é uma determinação que pode mudar a partir de 2024.

A taxa do seguro para moto, que anteriormente era de R$ 286,75, passou a custar R$ 180,65. Mesmo com a queda no valor, o DPVAT de moto segue como a segunda categoria mais cara a pagar o seguro.

Conforme a Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão responsável pela fiscalização e controles dos mercados de seguros no Brasil, a diminuição de 37% nos valores cobrados em cada categoria seguiu a queda nos registros de pagamento de indenizações. Mesmo que a Susep tenha indicado uma diminuição no pagamento de indenizações do seguro obrigatório, as motocicletas ainda geram 76% da demanda do DPVAT, conforme dados da SENATRAN.

 

Ainda posso ser multado?

Apesar disso, não é uma boa alternativa atrasar a quitação do seguro de moto. Caso você não efetue o pagamento poderá sofrer as seguintes consequências:

1. Proibição de realizar o licenciamento da sua moto: ou seja, isso significa que não poderá obter o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV);

2. Veículo sujeito a multa: sem o documento obrigatório, a moto estará circulando de  forma irregular. Se for parado por uma blitz, será aplicada uma multa no valor de R$ 293,47 e acrescentado sete pontos na sua CNH;

3. Sem direito a indenização: se sofrer ou causar algum acidente de trânsito, não terá direito à indenização oferecida pelo seguro. Junto a isso, a Seguradora Líder poderá cobrar de você o ressarcimento de todos os gastos com outras vítimas.

Portanto, deixar de pagar o seguro DPVAT da sua moto resulta em sérias consequências financeiras e legais, uma vez que o benefício protege não apenas o proprietário, mas também os terceiros envolvidos no acidente. É sempre recomendado  estar em dia com o pagamento!

O seguro DPVAT de moto cobre quais situações?

Basicamente, o seguro DPVAT de moto cobre três situações: invalidez permanente, morte e despesas médicas. Em caso de morte, o benefício indenizará os herdeiros. O valor do ressarcimento é de até R$ 13.500,00

Para acidentes que provocam a invalidez permanente, repara as vítimas pela perda permanente total ou parcial de força, movimento de membro ou função. A invalidez permanente pode ser total ou parcial e deve ser atestada pela perícia médica. A indenização é no valor de até R$ 13.500,00.

Já na situação de despesas de assistência médica e suplementares, reembolsará as despesas pagas pela vítima em consequência do acidente. É necessário comprovar os gastos com recibos e notas fiscais. O valor da indenização é de até R$ 2.700,00.

Como acionar o seguro DPVAT?

Primeiramente, qualquer pessoa pode solicitar a indenização pelo DPVAT, a solicitação do seguro é gratuita e só poderá ser feita caso o contribuinte não tenha pendências anteriores do seguro. Eis a importância de estar sempre em dia.

 É possível requerer pelo aplicativo da Caixa disponível nas lojas App Store e Google Play. Caso não possam ser realizadas pelo app, as solicitações devem ser feitas nas agências da Caixa em todo o país.  

Após baixar o aplicativo, no primeiro acesso é necessário fazer um cadastro, informando CPF e criando uma senha. Dentro do aplicativo, clique em “Quero solicitar minha indenização DPVAT”. 

Na sequência, preencha as informações solicitadas e envie pelo próprio aplicativo os documentos necessários. Fotografe ou use arquivos que já estejam no seu celular. Depois, é só aguardar a análise da Caixa sobre o pedido. 

 

1. Documentação necessária

Os documentos necessários para solicitar a indenização DPVAT são: boletim de ocorrência,  comprovante de residência dos beneficiários,  boletim de atendimento médico hospitalar do primeiro atendimento médico indicando os procedimentos adotados, laudo do IML (Instituto Médico Legal) do local em que o acidente ocorreu.

 

2. Prazos para solicitação da indenização

Em relação aos prazos para solicitar o benefício, o prazo é de 3 anos, contados a partir da data do óbito. Já para o reembolso de despesas médicas, o prazo é de 3 anos a contar da data do acidente, bem como nos casos de invalidez permanente. 

De acordo com a CEF,  o prazo para verificação e pagamento do benefício é de até 30 dias, contados depois do envio da documentação completa. Se a vítima precisar passar por avaliação médica, o prazo é de 30 dias a partir da perícia.  

 

3. Acompanhamento da solicitação 

A maioria das pessoas têm dúvidas de como acompanhar o processo do DPVAT. É importante mencionar que a forma de consulta não é burocrática e pode ser feita com o uso do aplicativo próprio. Da mesma forma, através da plataforma, o beneficiário do seguro pode acompanhar o processo e anexar a falta da documentação requerida para que a indenização seja liberada o mais rápido possível. 

Assim, você pode acompanhar o transcurso do pedido de indenização pelo aplicativo DPVAT Caixa ou em uma das agências da Caixa. As indenizações são pagas em Conta Poupança Social Digital Caixa, aberta no nome da vítima ou dos beneficiários, em caso de morte. 

 

Fique por dentro de seus direitos com a Zignet! 

O DPVAT para motos tem um papel fundamental na proteção e assistência de vítimas de acidente de trânsito. Manter o seguro atualizado é fundamental para garantir, em caso de sinistros, que as vítimas possam receber a devida indenização. 

Não só em relação a esse, como outros assuntos, a Zignet tem o compromisso de auxiliar o seu público. Isso gera satisfação e confiança entre os clientes, fortalecendo a relação de parceria e fidelidade. Descubra mais em nosso blog, explore o portal e informe-se sobre assuntos relacionados ao trânsito.

4.7/5 - (23 votes)

A ZIGNET é uma Instituição de Pagamento que surgiu para facilitar e inovar a forma de recebimento de contas, à vista ou parceladas, por meio de cartões ou outras modalidades de pagamentos eletrônicos.

Além de oferecer os serviços tradicionais de recebimento de cartões, as maquininhas ZIGNET também têm como diferencial parcelar em até 12 vezes, no cartão de crédito, boletos e contas emitidos por empresas públicas e privadas. Atendimento personalizado, tecnologia de ponta e o melhor custo-benefício são vantagens que a ZIGNET disponibiliza aos seus clientes, oferecendo maior agilidade e segurança nas transações de pagamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações