Logo Zignet branco

| Blog

Carro elétrico vale a pena? Confira os prós e contras!

Carregamento de carro elétrico
Índice do conteúdo

Já pensou em ter um carro elétrico na garagem? Saiba mais sobre os modelos e descubra se é ou não o ideal para você!

Por muito tempo ele só habitou o mundo da ficção científica, mas hoje é uma realidade charmosa, sustentável e atraente para muitos motoristas. E a alusão não poderia ser mais representativa com o Elon Musk literalmente lançando o carro elétrico no espaço sideral.

Mas se o vermelho do Tesla Roadster se mantém firme e forte ao redor do sol, quem tem os pés na Terra ainda tem dificuldade em ter um carro elétrico na garagem. Pesquisa da Nissan mostra que 80% dos consumidores latino-americanos comprariam um carro elétrico se o preço não fosse tão caro. 

A verdade é que o carro elétrico ainda divide opiniões: apesar de toda a sustentabilidade, será que vale mesmo a pena? Para ajudar você a entender melhor essa novidade que já é vista com mais frequência nas ruas, a Zignet vai te contar tudo o que você precisa saber a respeito. Fique conosco e boa leitura!

 

Como os carros elétricos funcionam e quais os modelos mais conhecidos?

O carro elétrico não é uma novidade, embora ainda não seja exatamente uma opção popular. Apesar de não haver um registro definido sobre o primeiro modelo do mundo, sabe-se que o conceito nasceu no final do século XIX. E na década de 80, em Nova York, já era possível escolher entre o carro elétrico e o tradicional nas concessionárias. 

Assim, o funcionamento tem algumas diferenças básicas. Os carros elétricos são impulsionados por motores elétricos alimentados por baterias, em vez de motores a combustão interna movidos por combustíveis fósseis. 

A principal diferença, então, é a ausência de um motor a combustão, eliminando a necessidade de gasolina ou diesel. Em vez disso, esses veículos usam baterias recarregáveis como fonte de energia. 

Dessa forma, quando o carro é conectado a uma estação de carregamento ou uma tomada elétrica doméstica, a bateria é recarregada, fornecendo energia ao motor elétrico. Isso resulta em zero emissões de gases poluentes, tornando os carros elétricos uma alternativa mais ecológica e sustentável.

Conheça alguns dos modelos mais vendidos

De acordo com a Fipe, as montadoras que mais receberam pedidos de carro elétrico no Brasil em 2023 são a Fiat, a Toyota e a Ford. Mas os lançamentos não param e o cenário pode mudar bastante. 

A Volkswagen já anunciou o ID.2all, um carro elétrico equipado com algumas referências ao passado da empresa, que aspira ser uma homenagem a modelos tradicionais da marca alemã, como Golf, Polo e o querido Fusca.

A nível global, alguns exemplos populares de carros elétricos incluem o Tesla Model S, Nissan Leaf, Chevrolet Bolt, e o BMW i3. O Tesla Model S, por exemplo, tem uma autonomia de até 370 milhas (cerca de 595 km) com uma única carga e oferece um desempenho impressionante, acelerando de 0 a 60 mph em apenas 1,98 segundos. 

Por outro lado, o Nissan Leaf é um dos carros elétricos mais vendidos do mundo, com autonomia de cerca de 364 km e é conhecido por sua eficiência energética. 

 

Confira os principais pontos positivos

A seguir, conheça algumas das maiores vantagens dos carros elétricos:

Menos poluentes

Como não há queima de combustível fóssil, não há emissão de fumaça nem gases poluentes e nocivos ao meio ambiente e à saúde de modo geral.

Redução de ruídos

O motor elétrico tem o funcionamento muito silencioso, proporcionando uma experiência sem poluição sonora e mais leve tanto para motorista e passageiros, quanto para a cidade de um modo geral.

Alto desempenho

O carro elétrico tem um desempenho poderoso, com alto torque. Uma prova disso é a Fórmula-E, que não deixa dúvidas. Do acelerador, a energia é entregue rapidamente às rodas, sem desperdício. 

Atenção também à eficiência energética: nos motores a combustão é de cerca de 30% e 40%, mas é de 90% nos motores elétricos, aproveitando quase a totalidade da energia fornecida.

Menor custo por Km rodado

Como a energia elétrica é bem mais barata do que qualquer combustível fóssil, o custo por Km rodado também é bem menor. A estimativa é que o custo seja de um terço do gasto com a gasolina, por exemplo. 

Por outro lado, não há necessidade de troca de óleo, o que também acarreta menos gastos com manutenção. Para se ter uma ideia, de acordo com a BMW, o custo por quilômetro rodado do i3 é quase 50% inferior ao de seus modelos a combustão. 

Além disso, sua mecânica é tão simples que o modelo é ainda 20% mais barato para manter e 15% mais barato para consertar.

Movido a baterias

Assim como nos smartphones, a tecnologia de desenvolvimento de baterias é impressionante. Cada vez menores e mais eficientes, a nova geração está sendo desenvolvida à base de grafeno, uma forma de carbono cristalino, assim como o grafite e o diamante.

Conforme a Samsung, as baterias de grafeno armazenam 45% mais energia e recarregam cinco vezes mais rápido que as de íons de lítio.

 

Em contrapartida, conheça os principais pontos negativos

Mas como nada é perfeito nesse mundo, ainda há vários pontos que precisam ser melhorados no carro elétrico. Veja quais são:

Preços elevados

Assim como os modelos tradicionais, também há carros elétricos mais simples e compactos, com preços até R$ 160 mil; outros de médio porte, com valores que variam entre R$ 200 mil e R$ 300 mil; e modelos mais luxuosos, que podem ir bem além de R$ 400 mil.

Dessa forma, o valor do carro elétrico ainda é salgado para a maioria da população, mas algumas soluções interessantes estão aparecendo. 

A chinesa BYD, por exemplo, já está preparando o lançamento do Seagull no mercado, um carro elétrico de R$ 57 mil que deve substituir os Renault Kwid, que hoje custa cerca de R$ 70 mil.

Consumo excessivo de energia 

Esse é um dos pontos mais polêmicos, porque a questão não é apenas do que sai pelo escapamento, mas sim o ciclo completo. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), embora no Brasil a maior parte da energia gerada seja proveniente das hidrelétricas, é preciso considerar que o uso massivo de carros elétricos vai acabar aumentando a demanda por energia.

Mas para manter a produção sem risco de racionamento, é preciso grandes investimentos em geração e distribuição.

E o lítio?

Outra preocupação é em relação ao lítio, base principal das baterias atuais. De acordo com o próprio Elon Musk, CEO da Tesla, “Para produzir 500 mil veículos por ano, basicamente precisamos absorver toda a produção de lítio no mundo”.

Porém, o lítio também é um recurso finito, assim como o petróleo. E, além do lítio, outros minerais nobres usados nas baterias também são extraídos de terras raras, como disprósio, lantânio, neodímio e praseodímio. Perigo para o meio ambiente, já que, como o próprio nome diz, essas terras são raras.

Descarte e reciclagem das baterias

Apenas um terço do valor de cada bateria consegue ser recuperado pelas poucas empresas especializadas na reciclagem do lítio. Como o carro elétrico ainda não tem um uso massivo, não se sabe exatamente o impacto que este descarte terá no planeta.

Quando as baterias de lítio ficam fracas demais para os carros, ainda podem ser aproveitadas com suficiência no uso doméstico porque mantêm 75% da sua capacidade. A Toyota, por exemplo, tem um programa que recicla e redireciona para outros fins as baterias do Prius, o híbrido mais vendido do mundo. Mas apenas agora outras marcas estão começando a seguir o exemplo da fabricante japonesa. 

 

Afinal, o carro elétrico vale ou não a pena?

Alguns países já definiram prazos para encerrar a produção de carros a combustão, mas apenas o tempo dirá se o carro elétrico é mesmo o carro do futuro.

Afinal, se há várias vantagens no modelo, também há muito o que considerar em logística, inovações e sustentabilidade, já que limpar de um lado para poluir do outro não é o ideal. 

E você, o que acha do carro elétrico? Gostaria de ter um na sua garagem?

Continue acompanhando o Blog da Zignet e conheça as novidades e dicas para manter a sustentabilidade no trânsito, com soluções eficientes para o meio ambiente!

5/5 - (2 votes)

A ZIGNET é uma Instituição de Pagamento que surgiu para facilitar e inovar a forma de recebimento de contas, à vista ou parceladas, por meio de cartões ou outras modalidades de pagamentos eletrônicos.

Além de oferecer os serviços tradicionais de recebimento de cartões, as maquininhas ZIGNET também têm como diferencial parcelar em até 12 vezes, no cartão de crédito, boletos e contas emitidos por empresas públicas e privadas. Atendimento personalizado, tecnologia de ponta e o melhor custo-benefício são vantagens que a ZIGNET disponibiliza aos seus clientes, oferecendo maior agilidade e segurança nas transações de pagamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações