Logo Zignet branco

| Blog

Até quando os idosos podem dirigir no Brasil?

Mulher idosa viajando de carro durante o dia
Índice do conteúdo

Será que há um limite determinado pela legislação até quando os idosos podem dirigir? Veja o que determina o CTB

Com a tecnologia e os avanços da medicina aumentando cada vez mais a expectativa de vida do brasileiro, é também cada vez mais comum ver idosos dirigindo. Mas, pela lei, até quantos anos os idosos podem dirigir no Brasil? Será que existe um limite legal para isso?

Se você também ficou curioso, basta acompanhar esse artigo da Zignet para saber tudo sobre o assunto. Vem com a gente e boa leitura!

 

Legislação brasileira e a condução por idosos

No Brasil, a legislação referente à condução por idosos é regida pela Resolução 168 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). De acordo com a lei, a idade mínima para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é 18 anos para a categoria B, que permite a condução de veículos de passeio. 

Mas se há uma idade mínima para começar, então há uma idade máxima para deixar de dirigir? E, na verdade, não existe uma idade máxima para deixar de dirigir, o que acontece é a diminuição do período de renovação, no qual vai ficando mais curto a partir dos 50 anos.

Dessa forma, a CNH tem validade de 10 anos para os motoristas com menos de 50 anos. A partir dessa idade e até os 69 anos, a validade passa a ser de 5 anos. Já os motoristas com idade com 70 anos ou mais devem renovar a CNH a cada 3 anos.

Mas há casos em que esse período pode ser ainda menor. Quando o motorista tem alguma doença crônica ou faz uso de medicamentos que possam afetar as condições normais de direção, a orientação pode ser de que a renovação da CNH seja feita a cada 6 meses.

Para todos, no entanto, o prazo para renovação da CNH é de até 30 dias a partir do vencimento da carteira. A regra passou a valer para condutores com a documentação vencida a partir de 1º de janeiro de 2023.

Vale lembrar que o CTB determina que dirigir com a CNH vencida é infração gravíssima, punida com multa de R$ 293,47, e 7 pontos na habilitação.

 

Avaliação médica e psicológica

O que acontece é que nas renovações de CNH são realizados testes específicos para avaliar a capacidade física e mental do motorista, portanto nos idosos essas avaliações são feitas de forma mais constante a partir dos 50 anos.

Afinal, a habilidade ao volante depende muito do bom funcionamento de diversos órgãos e sentidos, como olhos e ouvidos. É preciso ter velocidade de reflexo, resposta rápida aos estímulos, bom controle do volante, e boa função motora para não se atrapalhar com os pedais e até mesmo força para pisar no freio em situações de emergência. 

Porém, como os processos degenerativos avançam com o tempo, podendo  comprometer a capacidade de dirigir do idoso, a renovação da CNH com os exames médicos mais frequentes visam garantir que o motorista esteja apto para continuar dirigindo com segurança.

As avaliações de aptidão física e mental incluem exames de visão, audição e avaliação psicotécnica, medindo as habilidades mentais e cognitivas do idoso. Esses exames, aliás, são obrigatórios para motoristas de todas as idades, mas no caso dos idosos eles são mais rigorosos.

Sendo identificada alguma alteração durante os exames, o perito pode solicitar outros testes adicionais.

 

Renovação da CNH para Idosos

De acordo com a lei, é considerada pessoa idosa o cidadão com idade igual ou superior a 60 anos, mas de acordo com o CTB a redução no tempo para a renovação da CNH começa já a partir dos 50 anos, caindo de 10 para 5 anos, e de 5 para 3 anos a partir dos 70.

Assim como para motoristas de qualquer idade, é a avaliação médica que determinará se a carteira será ou não renovada, sendo a grande diferença a janela menor entre os exames físico e psicotécnico.

Dessa forma, se o laudo do perito examinador comprovar que o motorista não tem mais as condições necessárias para dirigir, a renovação pode ser reprovada ou o tempo até a próxima renovação da carteira pode ficar ainda mais reduzido.

Embora isso possa acontecer com pessoas mais jovens, é mais comum ocorrer com quem já tem mais de 65 anos. 

 

Alternativas de mobilidade para idosos

Quem passou a vida inteira dirigindo ou se habituou a pegar no volante para as tarefas do dia a dia pode se sentir deslocado sem a renovação da CNH. No entanto, há outras alternativas de mobilidade para os idosos.

A gratuidade nos diversos modais dos transportes públicos, por exemplo, garante mobilidade com economia. Além disso, há atualmente a facilidade dos serviços de transporte em carros particulares por aplicativo – como Uber, 99, Fast Car, Lady Drive e inDrive – estacionamento para idosos que podem ser utilizados por condutores profissionais especializados na terceira idade e ainda os programas de carona solidária desenvolvidos em várias cidades.

 

Qualidade de vida é com a Zignet!

Garantir qualidade de vida é fundamental, esteja o idoso dirigindo ou não, o importante é fornecer mobilidade com afetividade, inclusão social e compreensão de que nem todos são iguais e o tempo pode chegar de forma diferente para cada um. 

Afinal, a consciência da contribuição de cada motorista para um trânsito seguro deve existir em qualquer idade. 

Venha conferir as facilidades da Zignet para quitar os débitos veiculares em até 12X no cartão de crédito e continue acompanhando as dicas e novidades para o trânsito responsável no nosso Blog!

 

Avalie este post
Foto de Paulo Lofreta Loffreda

Paulo Loffreda é um empreendedor e investidor atuante nos cenários empresariais do Brasil e dos Estados Unidos. Fundador e sócio da ZIGNET Instituição de Pagamento em São Paulo, lidera a inovação na tecnologia financeira. Além disso, como fundador e sócio da PlusA Real Estate Development em Orlando, destaca-se em investimentos e desenvolvimentos imobiliários nos EUA. Foi sócio fundador da Planvale Benefícios adquirida pelo UP Group e como fundador e ex-presidente nacional da CEBRASSE – Central Brasileira do Setor de Serviços, sua trajetória é marcada por contribuições significativas para o setor empresarial brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações