Idioma: PortuguesEnglishSpanish
Idioma: PortuguesEnglishSpanish

5 etapas simples para sair rapidamente das dívidas

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo (CNC), cerca de 12 milhões de famílias brasileiras possuem dívidas atualmente. Trata-se do maior nível de endividamento já registrado em 11 anos.

O número recorde atinge todas as famílias brasileiras, independentemente da classe social.  Para os grupos com renda acima de dez salários-mínimos, a proporção de endividados também alcançou o maior patamar, com incremento de 69,5% em outubro, ante 59,4% em outubro de 2020. 

Em contrapartida, os pesquisadores apontam uma desaceleração no ritmo do endividamento para os próximos meses, em razão do aumento da taxa básica de juros (Selic), atualmente fixada pelo Banco Central em 9,25% ao ano.

Embora as razões circunstanciais decorrentes da pandemia do Coronavírus tenham agravado o desequilíbrio financeiro de muitas famílias, é importante destacar que, independente do cenário macro econômico ou da classe social, sempre é possível ter uma boa relação com o dinheiro. Em outras palavras, não gastar mais do que ganha, conseguir planejar os próximos gastos e até guardar ou investir.  

Pensando nisso, abordaremos no post de hoje algumas dicas práticas para colocar as finanças em dia e sair do vermelho. Confira!

6 etapas para se livrar das dívidas

Se a sua lista de desejos para o próximo ano inclui se livrar das dívidas, temos boas notícias. Reunimos seis etapas simples e efetivas para te ajudar a conquistar esse objetivo. 

Etapa 1: Conheça suas dívidas.

Quem já assistiu ao Reality Financeiro da Band “Me Poupe!” deve lembrar que os endividados sequer sabiam a real quantia que estavam devendo. Eles sempre acreditaram que era um valor menor do que o real. 

Por isso, é fundamental identificar detalhadamente todas as suas contas em aberto, somente assim você poderá quitá-las e ficar livre das dívidas.

E mais. É primordial ter na ponta do lápis todas as contas fixas e variáveis e manter a disciplina para pagá-las em dia.

Apenas com esse controle será possível planejar quanto será necessário para honrar boletos essenciais e não deixar as dívidas se acumularem. 

Etapa 2: Gaste só o que você pode

Essa dica tem mais a ver com a psicologia por trás dos gastos do que com o dinheiro propriamente dito. Em alguns casos, ganhar mais não resolve o problema de desequilíbrio financeiro, por que as famílias elevam, acima do limite da renda própria, o padrão de vida.

Um orçamento realista permitirá que você controle seu dinheiro e saiba o quanto está gastando. Você deve saber quanto dinheiro está entrando em cada mês e analisar as prioridades para ter controle sobre as compras por impulso.  

Etapa 3: Comece a economizar dinheiro desde o primeiro dia 

Segundo pesquisa da Guiabolso, os brasileiros que usam apps de delivery de comida (iFood e UberEats) gastam, em média, 8,1% do seu orçamento nos aplicativos.

Então que tal testar suas habilidades na cozinha?

Reveja também as assinaturas dos serviços de Streaming. Será que você tem usado com frequência tudo o que assina ?

Etapa 4: Encontre maneiras de aumentar a renda

Você também deve tentar encontrar maneiras de ganhar mais dinheiro sem aumentar seus gastos. Por exemplo, se o seu trabalho paga comissão, ofereça-se para fazer horas extras ou trabalhar nos fins de semana. 

Experimente novas maneiras de obter uma renda extra. Pode ser vender doces e salgados, dar aulas particulares ou ser consultora de alguma empresa de cosméticos como Natura, Jequiti ou O Boticário, por exemplo.

Lembre-se: De ideias simples nasceram empresas que hoje geram muitos empregos e são admiradas e respeitadas. Para citar um exemplo, Alexandre Costa, aos 17 anos, começou a vender ovos de páscoa e trufas de chocolate artesanais pelas ruas do bairro em que morava.   Após uma série de decisões acertadas conseguiu emplacar a Cacau Show, sendo reconhecido até mesmo por programas conceituados como o MasterChef Brasil.

Etapa 5: Pague primeiro as dívidas com juros mais altos 

É muito importante que você tente negociar as suas dívidas. Depois de saber o tamanho do débito e o pagamento mensal máximo que você tem condições, será mais fácil entrar em um acordo com os credores.

Tente reduzir os juros (entre em contato com o credor sempre com a intenção de eliminar os juros) e, se for viável, faça uma portabilidade de crédito

A recomendação do SERASA (Centralização de Serviços dos Bancos) para essa situação é que você não comprometa mais do que 30% do seu salário com o pagamento das parcelas.

Etapa 6. Controle seus hábitos de gasto compulsivo 

Tenha em mente que os gastos compulsivos são os seus principais vilões. Eles podem levá-lo ao endividamento e afetar a sua saúde mental. Para impedir isso, é preciso estabelecer um orçamento e cumprí-lo a todo o custo.

Fonte: Freepik

Conclusão e conselhos para alcançar a liberdade financeira

Um dos muitos efeitos negativos de estar em dívida é o impacto em sua saúde mental e física, bem como em outras áreas, como relacionamentos.

O tema saúde financeira é extenso e repleto de nuances, pensando nisso separamos alguns cursos on-line para que você possa aprimorar os seus conhecimentos no assunto e ter a vida financeira que sempre desejou:

 

  1. Educação financeira empresarial – Sebrae: O Curso tem a duração de duas horas, possui certificado de conclusão e é totalmente gratuito. Ele é destinado para microempresas, empresas de pequeno porte e artesãos, mas, certamente, será útil para qualquer indivíduo que queira colocar as finanças em ordem.
  2. Educação Financeira – Fundação Bradesco – Escola Virtual: Esse curso é desenvolvido para iniciantes e tem duração de quatro horas. O curso ensina como analisar suas finanças pessoais e prepara você com os princípios básicos de investimento.
  3. Finanças Pessoais – Fundação Bradesco – Escola Virtual: Esse é um dos cursos mais completos, com duração de sete horas, para quem realmente tem interesse em mudar a situação atual e sair das dívidas. O objetivo deste curso é mostrar como gerenciar seu orçamento, bem como definir e atingir metas financeiras. Também ensina vários conceitos de finanças, incluindo investimentos e linhas de crédito, em 8 módulos.

E aí, gostou das nossas dicas? 

Compartilhe e comente em nossas redes sociais.