Logo Zignet branco

| Blog

Como elaborar um plano de recuperação pós-desastres naturais?

Tempo de leitura: 5 minutos
plano de recuperação de desastres
Índice do conteúdo
5/5 - (1 vote)

Para uns foi uma tragédia anunciada. Para outros, desastres naturais imprevistos. De uma forma ou de outra, as enchentes no Sul do país mostraram a importância de haver um bom plano de recuperação de desastres nas empresas.

Só em Porto Alegre, a Prefeitura estima um prejuízo de cerca de R$8 bilhões. Já a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) informou que as chuvas provocaram perdas de R$3,372 bilhões para a agropecuária gaúcha, sendo que, destes, R$3,1 bi são só na agricultura.

O plano de recuperação é comumente relacionado a ataques cibernéticos e à área de TI. Entretanto, são vários os tipos de desastres, entre naturais e os causados por falhas humanas. E ele é essencial para evitar interrupções significativas nos negócios, minimizando o máximo possível estragos e prejuízos.

Leia este conteúdo e saiba mais sobre o assunto e como um um plano de recuperação pode ajudar sua empresa.

 

Por que o plano de recuperação é tão importante?

O plano de recuperação é um conjunto de procedimentos documentados sobre como a empresa deve agir em casos de desastres naturais. A ideia é criar protocolos que minimizem o tempo de inatividade e promovam a continuidade dos negócios, evitando danos profundos à empresa.

Sem ele, a corporação que é pega de surpresa por um sinistro natural pode ter prejuízos tão impactantes que podem até mesmo tirá-la do mercado definitivamente.

Dessa forma, o plano proporciona diversos benefícios. Um deles é a recuperação estrutural mais rápida e eficiente, reduzindo o tempo em que a empresa fica fora do mercado.

Ao reduzir o tempo de inatividade, a recuperação financeira é acelerada, minimizando as perdas e garantindo a continuidade do negócio

Com isso, há também uma melhora na imagem corporativa diante do consumidor e dos investidores, que sentem mais confiança em fazer negócios com a empresa. 

A reputação da empresa cresce ao demonstrar estar preparada para enfrentar situações emergenciais e imprevistos.

E, em relação à TI, o plano deve proteger informações críticas e dados dos clientes, garantindo a conformidade com a lei e dando mais segurança aos consumidores.

 

Como elaborar um plano de recuperação depois de um desastre natural

É muito importante que toda empresa tenha um plano de recuperação, com medidas preventivas que minimizem o impacto dos acontecimentos. 

Mas mesmo que ele não exista ou tenha um foco único, como no caso da área de TI, depois de um desastre natural é possível criar um esquema que reduza o impacto dos danos sofridos – e aprender com os erros, gerando um plano de prevenção para o futuro.

Conheça algumas etapas importantes do planejamento de recuperação de desastres naturais:

Avaliação abrangente de danos

O primeiro passo é fazer uma avaliação abrangente dos danos sofridos, criando uma documentação completa e detalhada em todas as esferas, com imagens fotográficas e vídeos, além de descrição detalhada da situação de cada área do negócio. 

Estes registros deverão servir para planejamento dos reparos, mas também como documentos para a reivindicação de indenizações, parcerias estratégicas para recuperação do negócio e ajuda governamental.

Estabelecimento de prioridades de recuperação

O foco inicial deve estar em garantir a segurança das pessoas. Em segundo plano, a reativação dos serviços básicos, para a continuidade dos negócios, como eletricidade, água etc.

Paralelamente, ou em um segundo momento, a documentação gerada deve ser analisada para a identificação das áreas prioritárias entre propriedades, reforço estrutural, TI e bens em geral, ainda incluindo o ativo humano. 

Criação de um orçamento detalhado

Elabore um orçamento detalhado considerando não apenas os gastos de materiais, equipamentos e mão de obra para os reparos, mas também os custos indiretos provenientes da perda de renda durante o tempo de inatividade, por exemplo.

Avalie formas de aliviar a pressão financeira e diluir gastos ao longo do tempo. Isso pode ser feito com praticidade e segurança na Zignet, onde é possível parcelar boletos e demais débitos no cartão de crédito em até 12X. 

Dessa forma, é possível resolver prioridades e reduzir rapidamente o tempo de ociosidade da empresa, agilizando o retorno ao mercado e garantindo a competitividade mesmo após um desastre natural.

Coordenação com seguradoras

É muito importante que toda empresa, seja do tamanho e da área que for, tenha uma seguradora parceira. O seguro é a melhor forma de proteger o patrimônio corporativo e dos investimentos em equipamentos, veículos, mercadorias, produtos e também propriedades. 

A seguradora, portanto, deve ser imediatamente avisada do desastre natural, entregando toda a documentação pedida o mais rapidamente possível, de forma a agilizar o pagamento da indenização e minimizar as perdas.

No entanto, lembre-se de confirmar a cláusula de cobertura de desastres naturais na apólice, garantindo que este tipo de sinistro será indenizado.

Se ainda vai fazer o seguro, certifique-se de conhecer todos os detalhes da apólice antes de assinar o contrato para evitar surpresas.

Envolvimento da comunidade e apoio externo

Não esqueça que sua empresa está inserida em uma comunidade, da qual muito provavelmente vários colaboradores e seus familiares também fazem parte. Seja solidário, analise por quais meios sua empresa pode ajudar e busque também o apoio local para manter suas atividades em funcionamento.

Lembre-se de que a resiliência de uma empresa também depende do seu envolvimento social com a comunidade e o apoio mútuo é fundamental em momentos de crise e reconstrução.

Busque apoio de entidades governamentais e não-governamentais, criando parcerias que podem não só ajudar na reconstrução, mas gerar bons frutos no futuro.

 

Desenvolvimento de um plano de prevenção para o futuro

Pensar que um raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar pode custar a sobrevivência da sua empresa. Então analise todo o acontecimento, as ações que funcionaram e as que podem ser melhoradas, e tire dos erros lições valiosas para criar um plano de prevenção de desastres naturais para o futuro.

Crie protocolos que minimizem danos e implemente medidas para reduzir a vulnerabilidade da empresa em seus vários aspectos. Promova parcerias, terceirize serviços, crie um fundo de emergência. 

O parcelamento de dívidas, por exemplo, pode ajudar a reforçar o orçamento, melhorando a saúde financeira da empresa não apenas durante a recuperação, mas também aumentando a margem de segurança do fluxo de caixa para o futuro. 

 

A Zignet te ajuda na recuperação da empresa

Um plano de recuperação pode garantir a sustentabilidade da sua empresa depois de um desastre natural. Mas lembre-se de que é fundamental pensar no futuro criando abordagens que minimizem os estragos dos mais variados tipos de sinistros.

O parcelamento de débitos ajuda a saúde financeira nos negócios, deixando margem para a reconstrução, mas também para um melhor planejamento financeiro, inclusive visando um fundo de reserva para emergências.

Para isso, conte com a Zignet para parcelamentos de parcelamento de débitos veiculares e boletos, em até 12X no cartão de crédito

Confira as oportunidades para a sua empresa no nosso site e continue acompanhando nossas dicas no Blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações