Logo Zignet branco

| Blog

Seguro automotivo ou proteção veicular: qual escolher?

Tempo de leitura: 6 minutos
Seguro automotivo ou proteção veicular: qual escolher?
Índice do conteúdo
Rate this post

Manter seu veículo em segurança é preservar seu patrimônio. Veja como saber o que é melhor para seu carro: seguro automotivo ou proteção veicular!

Ter um seguro automotivo ou uma proteção veicular? Essa é a dúvida de muita gente – mas se você acha que os dois são o mesmo, está bastante enganado.

Apesar de terem algumas semelhanças e um objetivo em comum – reduzir os riscos de perda total ou parcial do veículo e também os prejuízos financeiros – as modalidades têm diferenças significativas.

Por isso, antes de se decidir por um ou outro, é importante conhecer bem as características de cada um.

Leia esse artigo até o final e descubra se o seguro automotivo ou a proteção veicular é melhor para o seu caso!

 

O que é o seguro automotivo

O seguro automotivo é um contrato firmado entre o proprietário do veículo e uma seguradora. Assim, o dono do carro paga um determinado valor e a empresa se compromete a cobrir os sinistros que estiverem definidos no contrato.

Há várias coberturas que podem ser contratadas e tudo deve constar de forma explícita na apólice do seguro de carro. O valor é determinado com base em informações prestadas pelo proprietário e de acordo com o risco calculado pela seguradora.

Dessa forma, são vários os fatores que influenciam no valor mais alto ou mais baixo do seguro automotivo, e vão desde o sexo do motorista, ao tempo de carteira, a região de domicílio, a forma de uso do veículo, a marca e o ano do carro e de quem será o motorista principal, por exemplo.

Dessa forma, não há um padrão para o valor do seguro de carro e cada seguradora tem liberdade para dar mais peso para os fatores que julgar mais importantes para a composição do preço da apólice.

Também costuma haver uma franquia pré-determinada, que é um valor mínimo que o segurado deve pagar em caso de sinistro. O que passar desse montante fica a cargo da seguradora.

Conheça as coberturas mais comuns do seguro de carro

É importante frisar que todas as seguradoras são empresas particulares e estão subordinadas à regulação e fiscalização da Superintendência de Seguros Privados, a Susep.

Há diversos tipos de cobertura de veículos, mas basicamente elas são 3:

  • Cobertura compreensiva: abrange várias modalidades na mesma apólice, como colisão, incêndio e roubo. É o tipo mais procurado, mas cobre apenas danos causados ao veículo segurado e não os danos pessoais, materiais ou a terceiros.
  • Cobertura contra terceiros: é a chamada Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V). A seguradora se compromete a indenizar qualquer tipo de danos – pessoais, morais ou materiais – a outros motoristas e/ou passageiros e até pedestres envolvidos em um acidente causado pelo segurado. Pode ser contratada separadamente ou juntamente com outras coberturas. 
  • Cobertura contra roubo e incêndio: é a mais básica, compreendendo casos de furto e explosão do carro. Costuma ser a mais barata e paga indenização pela perda parcial ou total do carro (danos acima de 75%).

Como é feito o pagamento da indenização no seguro automotivo

A Susep determina um prazo de até 30 dias para a seguradora pagar a indenização ao segurado. No caso de pagamento do valor integral, como nas ocorrências de perda total (PT) por colisão, roubo ou furto, o cálculo é feito com base no valor de mercado do veículo, seguindo os preços constatados na Tabela FIPE.

 

O que é proteção veicular

Ao contrário do seguro automotivo, a proteção veicular não é oferecida por uma empresa legalmente constituída, mas sim por cooperativas e associações de proprietários que se unem para pagar determinados valores mensalmente.

Este montante é utilizado em forma um fundo de emergência, utilizado quando um dos associados sofre um sinistro, que pode ser uma colisão, roubo, incêndio etc.

Na prática, digamos que você sofra um acidente e o conserto do carro seja de R$ 4 mil. Esse dinheiro deverá ser retirado do fundo. Porém, se o fundo não tiver o montante, o valor deve ser rateado entre os associados. Então, nesse caso, havendo 40 sócios, cada um teria que desembolsar R$ 100.

Limitações da proteção veicular

Como não é oferecida por uma empresa de seguro privado, mas sim por empresas sem fins lucrativos, a proteção veicular não é regulada nem fiscalizada pela Susep, ficando sujeita apenas às determinações da Organização de Cooperativas Brasileiras (OCB). 

O órgão é responsável por associações de diversos tipos e segmentos diferentes, não sendo especializada em proteção veicular.

Este costuma ser um ponto polêmico, porque abre brechas que podem deixar o associado em desvantagem e com pouca proteção legal.

Como é feito o pagamento da indenização na proteção veicular

Esse é outro ponto importante que deve ser considerado na escolha entre seguro automotivo e proteção veicular. Nessa modalidade não há prazo máximo estipulado para que o pagamento da indenização seja feito.

O que acontece é que, como o valor do pagamento tem que sair do caixa da associação, nem sempre há o montante necessário. Nesse caso é preciso esperar que todos os associados façam o depósito para chegar ao que é preciso para pagar o conserto ou repor o valor da perda total. 

 

Como fazer a melhor escolha

Para fazer a escolha entre seguro automotivo e proteção veicular, é preciso conhecer bem os dois serviços e considerar o melhor custo-benefício. A forma de pagamento, por exemplo, também é diferente. 

As empresas de seguro veicular costumam parcelar o valor do contrato em até 12 vezes, além de desconto para pagamentos à vista e bônus para quem vai renovar a apólice sem tê-la utilizado no período anterior.

Já a proteção veicular cobra um valor mensal referente à taxa administrativa e da divisão do que foi pago em possíveis sinistros do mês anterior. Dessa forma, o preço não é fixo, variando de acordo com os custos referentes aos carros dos associados. Também não há qualquer tipo de vantagem ou desconto para os sócios que não usaram o fundo de emergência.

 

Atenção nessas dicas antes da tomada de decisão

Para fazer sua escolha com mais segurança, a pedida é fazer um check-list com essas dicas:

  • Antes de mais nada, faça uma lista com o que você realmente precisa para o seu carro. Liste as coberturas necessárias, mas cuidado para não pagar a mais pelo o que não usará.
  • Ouça amigos e parentes em busca de indicações. Pesquise as empresas de melhor reputação no mercado e analise os índices nos sites de defesa do consumidor, como Procon e Reclame Aqui.
  • Entre no site das empresas escolhidas e leia a avaliação dos usuários.
  • Descubra como o atendimento em caso de sinistro é feito e o tempo médio que levam para fazer o pagamento da indenização.
  • Pesquise coberturas extras e vantagens. Procure saber como é feito o atendimento ao cliente e os canais de comunicação disponíveis.
  • Compare o preço e os serviços das seguradoras.
  • Compare o preço e os serviços das proteções veiculares.
  • Compare o preço e os serviços entre as melhores seguradoras e proteções que encontrou e veja o que é melhor para o seu perfil.
  • Ouça a opinião de profissionais especializados antes de tomar sua decisão.

 

A Zignet está sempre ajudando você

É muito importante que seu veículo não fique desprotegido, mas também é importante tomar a decisão correta para não se arrepender adiante. Analise todos os prós e contras do seguro automotivo e da proteção veicular para decidir conscientemente.

Além de facilitar a regularização dos débitos do seu veículo parcelando em até 12X no cartão de crédito, a Zignet também está sempre ajudando você com dicas importantes sobre segurança e direção defensiva.

Aproveite para conhecer todas as facilidades no nosso site e mais conteúdos exclusivos sobre trânsito seguro no Blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Compartilhe nas redes sociais

Últimas publicações